Transformação, transição ou integração digital...

Vivemos tempos de mudança, de adaptação, de alterações a diversos níveis na forma como vivemos. A tecnologia tem sido, de forma agravada nos últimos anos, o factor de aceleração dessa mudança. Transformação, transição ou integração digital (expressão bem cunhada pela Helena Barranha no debate) são algumas das expressões que vamos ouvindo como identificação deste fenómeno que é a inclusão da tecnologia para melhorar, alterar, refazer as soluções, métodos, modelos, etc. utilizados tradicionalmente no trabalho em museus. Foi este fenómeno que o ICOM Portugal pretendeu debater no passado dia 20. Não foi a expressão que debatemos a convite do...

CONVERSAS DE MUZÉ | ...

Em tempo de pandemia tivemos uma borla da plataforma Zencastr e podemos ter um convidado à nossa mesa de muzé. A Juliana sabe falar muito melhor que nós sobre avaliação e veio contar-nos porque é importante e tão necessária nos nossos museus e demais instituições de memória. As sugestões...

Projecto Mu.SA – Museum Sector Alliance Dez31

Projecto Mu.SA – Museum Sector Alliance

Parece uma infinidade, mas na realidade só passaram 4 anos desde os primeiros contactos que tivemos dos colegas da Hellenic Open University, que conheci através da Mapa das Ideias por causa do projecto eCultSkills (no qual tive uma breve mas muito frutífera participação), sobre a criação de um consórcio para avaliar e procurar melhorar o sector dos museus no que diz respeito às competências digitais necessárias para os perfis de trabalho emergentes que viríamos a conhecer como projecto Mu.SA. O consórcio, como estava pensado, precisava da participação de um “VET provider” e de um “social partner” capazes de...

DOMINO (DocumentandO Museu IberoamericaNO)

Juntamente com um conjunto de colegas e bons amigos, membros do Comité Internacional para a Documentação do ICOM (CIDOC), conseguimos aprovar, durante a conferência anual do CIDOC de 2018 em Creta, Grécia (ver aqui a história toda), a constituição de novo grupo de trabalho, a que chamamos recentemente DOMINO (DocumentandO Museu IberoamericaNO) com o objectivo de disseminar o trabalho do CIDOC pelos países e comunidades de línguas portuguesa e espanhola e, de forma mais abrangente, chegar a outros membros com um contexto cultural comum e, também, servir de ponte linguística para partilhar conhecimento especializado com a comunidade...

Inquérito – Re...

A minha boa amiga e colega Maria van Zeller, no âmbito do Doutoramento em Media Digitais da Universidade do Porto, está a desenvolver um projecto em que procura conhecer mais sobre a realidade aumentada no universo dos museus. Para o efeito, criou este breve inquérito (tempo aproximado de...

Juliana Rodrigues Al...

Parece que foi ontem, sentado na mesa de reuniões da sala do Gabriel na Estação da Luz, em São Paulo, que tive a primeira conversa com a Ju. Parece que foi ontem, mas acho que aquilo aconteceu há uns bons 7 ou 8 anos atrás e, desde então, o mundo deu umas voltas grandes. A Ju deu-me nesse dia...

Francisco Barbedo. In memoriam – Maria José ...

Um dia recebi um email assinado por alguém que não conhecia e se identificava como técnica superior da DGLAB. Tinha lido um artigo que eu tinha publicado e queria saber mais sobre a forma como aplicava o modelo de dados CIDOC-CRM à informação arqueológica. A primeira reação que tive foi a óbvia: mas alguém lê a literatura cinzenta que nós escrevemos?! Depois, respondi a medo: talvez o texto tivesse dado uma dimensão à coisa que ela não tinha, tratava-se singelamente da metodologia que estava a aplicar no meu trabalho de doutoramento, um assunto muito específico, ainda por cima não integrado em nenhum projeto para além do académico e sem...

CONVERSAS DE MUZÉ | ...

Digital vs. … quê?! O prometido é devido! Houve mais de 100 audições do piloto e aqui está o episódio 1   🙂 Falamos de um não assunto mas que, ainda assim, ocupa muita gente no universo das BAM*: a suposta guerra entre a utilização de ferramentas digitais e as outras formas de...

Museus no Futuro – Relatório

Hoje, após uma breve e agradável conversa que resulta neste texto, dei comigo a pensar no tempo que passou desde que comecei o Mouseion, nas transformações que o panorama museológico sofreu desde então e no que já vi de bom e mau acontecer durante este tempo no nosso sector. Na altura que o criei, pensei nele como um instrumento de reflexão sobre os museus, sobre aquilo que poderiam ser os museus no futuro, ou naquilo que eu imaginaria que viessem a ser. É sempre um tema que me apraz discutir. O que queremos, enquanto comunidade e enquanto profissionais do sector, fazer para ter melhores museus, mais eficientes, com mais recursos, com mais...

Virtual vs Físico. A luta não existente

Ontem, e em boa hora, participei no colóquio digital do ICOM Portugal que tinha o sugestivo título “Como sentir (na web) o peso do ar e da pedra?” e foi suscitado pelo texto provocatório da Patrícia do Vale com o seguinte título “Tudo será ainda instagramável? O museu por reinventar”. No debate fiquei ainda mais certo daquilo que tenho dito, em diversos locais, sobre esta dicotomia do Virtual vs Físico e da inexistência de uma luta titânica entre estes dois aspectos das nossas vidas. São vários os pontos que abordei durante o debate, mas tal como lá, vou aqui organizá-los em 5 pontos (lá foram 4 na intervenção...