O que há num nome?

O que é aquilo? Como é que eu identifico aquele objecto? O que lhe devo chamar? Como devemos chamar aos objectos que temos nas nossas colecções? Para que é que isto interessa? A quem é que isto interessa? Há muito tempo atrás, ainda trabalhava no Museu de Aveiro, ouvi pela primeira vez a palavra “cibório”. Se não me atraiçoa a memória, foi nas reservas do Museu, à procura de um outro objecto qualquer para uma exposição, e foi um comentário de um colega, muito conhecedor da colecção, sobre a beleza de um cibório, que vendo a minha cara de ignorância logo completou… “a píxide… aí à tua frente!”. Na altura...