Museus Militares do Exército: Um modelo de gestão em rede

Terá lugar amanhã, pelas 18:30h, no Auditório Lagoa Henriques da Faculdade de Belas Artes de Lisboa – Largo da Academia de Belas Artes, a apresentação pelo Prof. Doutor Fernando António Baptista Pereira do livro Museus Militares do Exército: um modelo de gestão em rede, da autoria do Ten. Coronel Francisco Amado Rodrigues e da Dr.ª Mariana Jacob Teixeira, colegas e amigos, que introduz uma visão muito clara, objectiva e estratégica sobre a gestão do património museológico do exército português. O livro é editado pelas Edições Colibri e teve o apoio, entre outras entidades, da Sistemas do Futuro.

Esta publicação é fruto do trabalho de investigação do Francisco e da Mariana nas respectivas dissertações de mestrado e reúne um conjunto de dados sobre a gestão dos museus militares e, também, da gestão e documentação do seu espólio, que serão, certamente, úteis a todos os que se interessam e estudam estas duas áreas da museologia. Tendo acompanhado, no âmbito do projecto de documentação dos museus do exército, uma parte da investigação dos autores, sei que teremos a partir de amanhã mais um importante documento para auxiliar o desenvolvimento da museologia portuguesa.

Ao Francisco e à Mariana, na impossibilidade de estar presente amanhã em Lisboa, quero deixar aqui expressos os meus parabéns pela publicação do vosso trabalho que, mais do que um prémio para vocês, é um prémio para nós que a partir de agora poderemos consultar e utilizar os resultados da vossa importante investigação.

Sobre o Livro

Com a edição deste texto, pretende-se revelar e partilhar, essencialmente à comunidade museal, a estrutura organizacional legal, os recursos e os processos utilizados pelos Museus Militares do Exército Português, como um contributo para a definição de um modelo de gestão. Este, à semelhança de outros modelos, possui pontos fortes e também pontos fracos, mas pretende-se configurá-lo numa boa via para se alcançar a desejada qualidade da actividade museológica militar e em rede integrada, constituída internamente por uma entidade ordenadora e coordenadora, seis Museus Militares e cerca de meia centena de Coleções Militares Visitáveis. Através das Tecnologias de Informação e Comunicação, será possível desenvolver a rede no plano nacional e internacional.

 

Francisco Amado Rodrigues

 

A segunda parte da presente obra (…) pretende contribuir para a reflexão sobre o conceito de museu militar e as especificidades que os diferenciam das demais instituições museológicas, nomeadamente ao nível dos seus processos de criação à luz do envolvente contexto europeu e das formas de colecionar presentes nos seus acervos. A partir de seis contextos – o Museu Militar dos Açores, o Museu Militar de Bragança, o Museu Militar de Elvas, o Museu Militar de Lisboa, o Museu Militar da Madeira e o Museu Militar do Porto, é feito o diagnóstico das formas de gestão e documentação das coleções e apontadas pistas para o desenvolvimento de uma gestão do acervo conduzida de forma integrada, ética e sustentável.

 

Mariana Jacob Teixeira

Sobre os autores

Francisco Amado Rodrigues – Lourenço Marques, agosto de 1964

 

Tenente-Coronel de Cavalaria/Exército.
Mestre em Museologia e Museografia, pela Universidade de Lisboa/Faculdade de Belas Artes. Licenciado em História pela Universidade Aberta. Licenciado em Ciências Militares, pela Academia Militar. Esteve colocado na Escola Prática de Cavalaria, onde exerceu, nos vários postos, diversas funções de comando, direção e chefia. Foi Diretor da Revista da Cavalaria e Professor na Academia Militar. Atualmente desempenha as funções de Chefe de Repartição de Património da Direção de História e Cultura Militar/Exército.

 

Mariana Jacob Teixeira – Porto, março de 1982

 

Ex-militar, arqueóloga e museóloga.
Licenciada em Arqueologia. Mestre em Museologia, tendo desenvolvido trabalho de projeto sobre a natureza e gestão das coleções de museus militares. Entre 2000/2007, colaborou em projetos de investigação de sítios arqueológicos. Entre 2006/11, integrou a equipa do Museu Militar do Porto, com funções da área do estudo e comunicação das coleções, conservação preventiva e serviços educativos. Desde 2011, é coordenadora científica do projeto do Museu de Sapadores Bombeiros do Porto. Participou na produção executiva da investigação do projeto Edifícios e Vestígios. Projeto-ensaio sobre espaços pós-industriais no âmbito de Guimarães 2012 Capital Europeia da Cultura.