Desafios dos sistemas de informação na missão museológica – Congresso BAD

Sobre o Grupo de Trabalho de Sistemas de Informação em Museus e o importante trabalho que temos pela frente fica aqui registado o artigo que foi publicado nas actas do 11º Congresso Nacional da BAD.

Resumo

O painel Os desafios dos sistemas de informação na missão museológica, a partir de um conjunto de reflexões dos membros do Grupo de Trabalho, procura contribuir para a discussão dos sistemas de informação na missão dos museus.Objetivos do painel: Apresentar os Sistemas de Informação em Museus como pilares fundamentais do trabalho museológico e da gestão dos acervos patrimoniais;
Colocar em destaque o seu papel insubstituível no tratamento e difusão de informação sobre os acervos museológicos e na produção de conhecimento;

Refletir sobre as metodologias de trabalho, de modo a garantir que contribuem de modo relevante para o cumprimento da missão do Museu. O Grupo de Trabalho Sistemas de Informação em Museus procura pensar o Museu como um centro de produção de conhecimento ao assumir o objeto de museu como documento e o acervo da instituição museológica, existente nas Reservas, Arquivo, Biblioteca ou Centro de Documentação como um todo unitário nas suas inter-relações informacionais. A visão integradora do acervo do Museu implica um maior enfoque nas potencialidades informativas do acervo, contribuindo assim para uma mais eficiente gestão de toda a informação sobre património produzida em contexto museológico. No âmbito deste Grupo de Trabalho, utiliza-se o conceito operatório de sistema de informação em museus (SIM) enquanto conjunto ordenado de elementos inter-relacionados que reúne, armazena, processa e faculta informação considerada relevante para a missão e funcionamento da entidade museológica. Este sistema é centrado na coleção e na prática museológica. Entende-se aqui a coleção como um conceito abrangente que compreende todos os acervos museológicos, independentemente da sua natureza ou suporte, incluindo espécimes bibliográficos e arquivísticos existentes no museu ou que com ele possam ser inter-relacionados. Ao procurar a interoperabilidade com sistemas análogos, o SIM obedece às normas nacionais e internacionais no âmbito da museologia, arquivística e biblioteconomia, nas suas três vertentes essenciais: estrutura de dados, terminologia e procedimentos.Objetivos estratégicos: • Constituir-se como uma plataforma de reflexão e dinamização do diálogo e articulação entre todos os profissionais da informação no universo dos acervos museológicos; • Promover o levantamento nacional dos recursos existentes nas áreas da gestão da informação dos acervos museológicos, de modo a desenhar um quadro global desta realidade; • Desenvolver encontros, seminários e outras iniciativas de valorização profissional; • Apresentar-se como parceiro ativo na sociedade civil no que diz respeito à gestão da informação dos acervos museológicos e à sua importância estratégica na área do património cultural.

Palavras-chave: Sistemas de Informação em Museus; Acervos museológicos; Gestão de informação.

O texto completo está disponível aqui.