Júlio Resende (1917-2011) Set22

Tags

Related Posts

Share This

Júlio Resende (1917-2011)

Li hoje no Metro e penso que não me engano muito na citação que o Mestre terá dito numa entrevista, quando lhe perguntaram se teria valido a pena, algo como “se valeu a pena? O futuro dirá!” e eu respondo, assim como quem escreveu no Metro que valeu a pena, sim senhor!

Sem o conhecer, conheci primeiro uma das suas obras emblemáticas no Porto, o painel de azulejos “Ribeira Negra” que se encontra antes do túnel da ribeira, quem vem do lado da Ponte D. Luís. Sempre que vinha ao Porto de carro com os meus pais em catraio aquele painel era a confirmação da chegada à grande cidade (a perspectiva que temos das coisas em novos é assombrosa, vista daqui) e o anúncio da entrada no túnel onde toda a gente buzinava para entreter os miúdos enfadados com a viagem. Claro que a obra é bem mais do que isso. Aprendi-o, anos mais tarde, com um ilustre amigo e historiador de arte que se interessava pela obra de Júlio Resende.

Nessa altura e agora fiquei eternamente grato pelo contributo que deu à arte.

Imagem: Lugar do Desenho