Ainda a extinção do Ministério da Cultura

E uma frase de Augusto Mateus que resume o meu sentimento de indiferença em relação à continuidade do Ministério:

Devemos é pensar na Cultura “com”: com outras áreas que valorizem o conhecimento, com sectores que promovam a criatividade, com políticas bem definidas. Em Portugal discutimos muito os nomes e pouco os objectivos.

Augusto Mateus e outros importantes intervenientes na área cultural do país, entre os quais destaco (por também concordar com a sua opinião), a ex-Directora do IPM Raquel Henriques da Silva escrevem hoje no Público sobre este importante e actual momento do sector.