Tags

Related Posts

Share This

Ranking de websites de Museus

A Kunstpedia, um site que encontrei a partir deste link do Erfgoed 2.0 (não deixem de visitar. Embora esteja em Alemão é um excelente blog), é descrita como sendo “the knowledge base on fine- and applied arts, popularly stated arts and antiques, with the exception of contemporary art” publica um ranking de popularidade dos sites dos museus em todo o mundo. Pelo que percebo apenas são tidos em conta museus em que o site utiliza um domínio próprio e não aqueles em que o site é baseado num domínio de tutela, por exemplo, uma vez que a comparação entre acessos aos vários sites só assim é credível. Para além disso apenas museus de Arte e relacionados estão aqui incluídos.

Este ranking que pode ser consultado aqui ou aqui, caso pretendam ver a classificação por país, tem como top 10 os seguintes excelentes exemplos (todos com características diferentes, mas comuns em muitos aspectos):

1.Museum of Modern Art (MoMA)
2.Metropolitan Museum of Art
3.Musée du Louvre
4.National Gallery of Art
5.Victoria and Albert Museum
6.J. Paul Getty Museum
7.Deutsches Historisches Museum
8.Los Angeles County Museum of Art (LACMA)
9.State Hermitage Museum
10.Brooklyn Museum of Art

Para além de ser um ranking muito útil (podemos encontrar vários sites de museus bastante interessantes e feitos com muito cuidado e atenção a pormenores), este tipo de iniciativas permite-nos perceber porque é que alguns museus têm sucesso na sua experiência online e outros têm mais dificuldade em comunicar neste meio imenso e cheio de possibilidades que é a internet. Claro que poderão dizer que os 10 primeiros são sites de museus com bastantes meios (recursos humanos e financeiros), mas eu contraporia que tirando a questão do investimento em construção/criação de conteúdos (a fatia mais cara, penso eu, mas que faz parte da missão de cada museu, segundo o ICOM) que o museu pode utilizar também para outros fins, a tecnologia à disposição hoje em dia permite fazer algo semelhante a um custo bastante acessível.

Outro dado que me chamou a atenção foi a presença neste top 10 de 6 museus dos Estados Unidos da América (é o país que me parece ter mais peso na longa lista disponível), contra apenas 1 francês, um inglês, um alemão e outro russo. Parece exagerado se tivermos em conta a diferença de “idade” entre EUA e a Europa, mas certamente é explicado com a enorme apetência existente em todos os sectores culturais norte-americanos para uma comunicação eficiente e vasta.

Por fim apenas uma menção aos dois museus presentes na lista: o MNAA e o Museu Gulbenkian. Não se encontram disponíveis no ranking global(?), mas podem encontrá-los no ranking por países, o que é de todo uma surpresa para mim. Embora não sendo os melhores sites que conheço, são bastante melhores do que alguns que se encontram no ranking. Sofrem por estar num país pequeno (com poucos milhões de pessoas a visitar os seus endereços) e o MNAA soferá por não ter uma versão em inglês? Não penso que haja uma resposta simples, mas penso que seria de pensar no assunto.

Em todo o caso, cada um dos dez primeiros vale uma visita com atenção.