Tags

Related Posts

Share This

Colecções online – Um bom exemplo

Midas Washing at the Source of the Pactolus | Nicolas Poussin | All | European Paintings | Collection Database | Works of Art | The Metropolitan Museum of Art, New York.jpg

Podia certamente utilizar alguns dos excelentes exemplos de colecções portuguesas que se encontram online para ilustrar este post, mas confesso que poucas me agradam como a do Metropolitan Museum de Nova Iorque. Antes de mais é uma das bases de dados mais fáceis de consultar que eu conheço. Simples, eficaz e bastante regular na apresentação dos dados. Claro que apresenta, como todas as bases de dados, alguns problemas em pesquisas por uma expressão, mas ainda não conheci uma que não os tivesse. No caso do Met a pesquisa pode ser feita por departamento do Museu ou pela totalidade da colecção e é nesta última opção que encontramos maior dificuldade no filtro que pretendemos, o que é prefeitamente compreensível. No entanto, através da Advanced Search é possível obter, com muita fiabilidade e exactidão, os registos que procuramos.

Chegados a um desses registos (o exemplo acima) encontramos a melhor apresentação de informação de um objecto que conheço. Uma vez mais simples e eficaz. No topo da apresentação do registo (1) encontramos a informação sobre o número total de objectos no departamento de “European Paitings”, bem como as opções de visualização em forma de lista e de impressão do registo. Um pouco mais abaixo (2) temos a informação base do objecto (a que o Met decidiu colocar online), nomeadamente os campos Artista, Título, Data, Medium (técnica e suporte), Dimensões, Créditos e, por fim, Accessiona Number (similar ao nosso Número de Inventário). Para além da informação base é também possível visualizar uma imagem (3) do objecto que pode ser ampliada ou vista com uma ferramenta de “Zoom” e uma opção, um pouco ligada aos conceitos da web 2.0, para adicionar este registo à “My Met Gallery” criando uma espécie de galeria virtual das obras do Met que nos agradam mais. Uns favoritos, a bem dizer.

Por fim, na última parte da página, estão disponíveis um conjunto de links que nos permitem consultar mais informação sobre o objecto que estamos a visualizar (4). A Legenda (Gallery Label) que se encontra na exposição, Notas sobre o objecto (sobre a sua produção, obras similares, etc.), Proveniência (histórico de anteriores proprietários que é muito comum ser disponibilizado nos USA por motivos que ainda vão levar a um outro post, mas que estão bem claros no livro chamado “O Museu Desaparecido”), as Exposições por onde passou esta obra e, por fim, as referências bibliográficas da obra (uma excelente ideia, a meu ver).

Tudo isto apresentado de forma simples e bem estruturada, com a indicação clara e destacada sobre a possibilidade de alteração dos dados consoante a informação que será obtida através da constante pesquisa e estudo das colecções deste importante museu (2).

Sem sombra de dúvida um exemplo do melhor que se faz nesta área da presença dos museus na web.